apell

APELL, processo desenvolvido em cooperação

Muito valorizado no contexto da gestão da ASSECAMPE, o processo APELL foi lançado em 1988 sob a liderança do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP, na sigla em inglês) que formulou as suas diretrizes a partir de ações em cooperação com a Associação das Indústrias Químicas dos Estados Unidos e o Conselho Europeu das Federações da Indústria Química. Desde então, essa iniciativa tem inspirado atividades colaborativas de planejamento com enfoque em prevenção de acidentes ao redor do mundo e preparado pessoas para o enfrentamento de eventuais situações de emergência. No Brasil, a Associação Brasileira da Indústria Química (ABIQUIM) foi incumbida de disseminá-la.

A sigla APPEL foi formada a partir das iniciais de cinco palavras em inglês que, em português, significam: Alerta, Preparação, Emergência, Nível, Local. O processo foi idealizado a partir de um amplo debate internacional iniciado após a ocorrência de três grandes acidentes: Itália (1976), Índia (1984) e Ucrânia (1986).  Nesse sentido, desde a sua criação, a iniciativa tem sido utilizada como base para a implantação de sistemas de preparação e resposta às situações de emergências em mais de 30 países. Todas as ações de gerenciamento de riscos são desenvolvidas em cooperação entre empresas, órgãos públicos e comunidades residentes no entorno das unidades industriais.

Desde a sua criação, o processo APELL teve como objetivos centrais a conscientização da sociedade sobre potenciais riscos relacionados à fabricação, à utilização e ao manuseio de materiais perigosos, além da organização das medidas de proteção das comunidades locais tomadas pelos representantes dos órgãos públicos e das indústrias. Assim, de forma colaborativa e com base em um conjunto de informações sistematizadas, são desenvolvidos os planos de atendimento à segurança da coletividade em situações de emergência.

Saiba mais sobre o processo APELL no site oficial dessa iniciativa internacional:

http://www.unep.org/apell/

 

Como funciona o processo APELL de Campos Elíseos

A Associação das Empresas de Campos Elíseos (ASSECAMPE) atua como coordenadora do Processo APELL desde outubro de 2001, quando a entidade representativa das indústrias locais foi criada. A seguir, saiba mais sobre como estão estruturadas e distribuídas as atribuições dos grupos apoiadores às tomadas de decisão no âmbito dessa iniciativa e observe como as ações são desenvolvidas em cooperação.

Estrutura Organizacional

Estrutura Organizacional

  • Grupo Coordenador (ASSECAMPE): Formado por representantes das indústrias, cujas principais atribuições envolvem a tomada de decisão sobre diretrizes de atuação, a formação da Comissão Executiva e a aprovação do orçamento anual.
  • Comissão Executiva: Composta por quatro integrantes titulares e seus respectivos suplentes que representam os grupos empresariais de petróleo, petroquímica, além de distribuidoras de derivados líquidos e de gás. Atua desde a coordenação dos programas motivacionais e dos simulados anuais até a elaboração de programas de treinamento para o Grupo de Apoio Externo. Suas atribuições também incluem ações de disseminação de informações sobre o processo junto às comunidades e aos órgãos públicos, bem como a prestação de contas dos recursos financeiros destinados às atividades anuais.
  • Plano de Auxílio Mútuo (PAM): Formado pelos órgãos de segurança industrial das empresas e o Grupamento para Operações com Produtos Perigosos (GOPP) do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro.
  • Grupo de Apoio Externo: É coordenado pelaDefesa Civil do Município de Duque de Caxias e conta com a participação de aproximadamente 2.000 voluntários. Atua na orientação e divulgação das ações destinadas às comunidades, como treinamentos e orientações de conduta segura, além de ficar responsável pelas comunicações sobre emergências. Também fazem parte das atividades do Grupo os seguintes órgãos públicos:
  • Guarda Municipal de Duque de Caxias (orientação do trânsito);
  • Hospital de Saracuruna (recebimento, transporte, tratamento e triagem dos feridos em situações reais e simuladas);
  • Hospital da Faculdade Unigranrio e Cruz Vermelha (apoio médico voluntário em situações reais e simuladas com primeiros socorros, triagem local e transporte dos feridos);
  • Grupamento para Operações com Produtos Perigosos do Corpo de Bombeiros (GOPP). Pelo seu nível de especialização é reconhecido como referência no Brasil;
  • 60ª Delegacia Policial e 15º Batalhão da Polícia Militar (responsáveis pela segurança pública e patrimonial);
  • Grupamento Aeromóvel – GAM(vinculado à Polícia Militar, é responsável pelo transporte aéreo e marítimo dos feridos em situações reais e simuladas);
  • Instituto Estadual do Ambiente (INEA).